quarta-feira, 24 de setembro de 2008

A cultura da baixa auto-estima (homofobia internalizada).

Fabrício Viana, escritor e bacharel em psicologia.Quando me perguntam sobre a saída do armário, conflitos, fatores psicológicos ou dinâmicas psíquicas do "assumir-se gay" eu costumo enfatizar que, por mais difícil que seja aceitar seus desejos e assumir uma identidade homossexual, é necessário também se livrar da homofobia internalizada. Ela é a grande vilã por trás de muitos homossexuais que, sem eles perceberem, ajuda não só a promover uma baixa auto-estima como também a cultura desta baixa auto-estima, transformando o problema individual em algo coletivo, quase comum a todos os homossexuais.

Para quem nunca ouviu falar em homofobia internalizada ela é a introjeção de valores e conceitos negativos da homossexualidade em nosso inconsciente através dos anos. Em outras palavras, desde pequenos nós, homossexuais, escutamos que a homossexualidade é anti-natural, que ela é errada, negativa, condenada por Deus, etc. Estes conceitos ruins ficam gravados em nosso inconsciente ao ponto de, mesmo ao assumirmos nossa plena homossexualidade - para si e para os outros - eles continuam agindo e condenando tais desejos.

E a lógica é simples. Se a homo é errada, eu, por ter tais desejos, também sou. Se ela é um desvio, eu também sou. E a lógica extravasa: se eu sou tudo isso o que ela é, todos os outros homossexuais também são.

Por causa destas associações, que acontecem em nível inconsciente, muitos homossexuais não confiam em si mesmos e se vêem da forma mais negativa possível. Exemplos? Já viu um gay que acha que outros gays não devem demonstrar afeto em público? Já viu um gay dizer que os gays são todos promíscuos? Ou ainda, um gay não se importar pela militância e pela causa gay? Não ler livros para gays ou não freqüentar lugares gays? Embora cada caso seja um caso, muito desta negação tem suas raízes na homofobia internalizada.

E é isso precisa ser evitado. Infelizmente não existe uma receita básica para se livrar dela. O primeiro passo é saber de sua existência. O segundo é começar a se perceber no dia-dia e ver qual sua relação com o assunto. Você vai notar que ela aparece tanto em piadas ingênuas como também em atitudes e comportamentos contra outros homossexuais. Sendo mais comum do que se imagina.

Sim, esta é raiz da cultura da baixo auto-estima. Vamos acabar com ela?
Fabrício Viana

Fabrício Viana é bacharel em Psicologia, gay assumido e autor do livro que fala sobre a homossexualidade (erroneamente citado na mídia de homossexualismo) chamado  "O Armário - Vida e Pensamento do Desejo Proibido" - Site do livro: www.oarmario.com

Um comentário: