sábado, 19 de dezembro de 2009

Governo de SP cria escola para jovens gays

Foi assinado nessa quarta-feira, 16, convênio entre o Governo do Estado de São Paulo e o Grupo E-jovem de Adolescentes Gays, Lésbicas e Aliados para a criação da Escola Jovem LGBT, a primeira do gênero no país. O objetivo da escola é valorizar e difundir a Cultura LGBT, em cursos que serão abertos a jovens hetero, homo e bissexuais já a partir de 2010.

“A escola é um Ponto de Cultura. O fato de os cursos serem abertos a todos e não só a jovens gays é parte da nossa estratégia de combate à homofobia,” explica Deco Ribeiro, apontado diretor da Escola Jovem LGBT. “Preconceito é ignorância. Para vencer isso, precisamos levar nossa arte, nossa expressão e nosso discurso a quem não nos conhece. Se a valorização da cultura negra é estratégia do movimento negro, assim como de vários povos e regiões, por que não valorizar a cultura LGBT?”

Na sede da escola, em Campinas, meninos e meninas da própria cidade e das regiões de Sorocaba, Grande São Paulo e da Baixada Santista terão aulas de criação de zines, criação de revistas, criação literária, dança, música, TV, cinema, teatro e performance drag, sempre com foco no jeito de ser e agir das lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros. O material produzido ao longo dos cursos, como CDs e DVDs, livros e revistas, peças de teatro e espetáculos de drag queens, circularão pelo estado e serão assistidos e distribuídos gratuitamente. Os jovens poderão concorrer ainda a bolsas de estudo.

“Pra quem está se descobrindo agora, é importante conhecer suas raízes,” afirma Chesller Moreira, presidente do Grupo E-jovem. “E mais importante ainda saber que é possível ser feliz sendo exatamente quem você é. O jovem ouve tanto por aí que ser gay é errado que ele fica sem referências positivas. Aqui ele vai poder descobrir que ser gay é legal, que ser travesti é legal, e que ele tem muito a oferecer à sociedade.”

Todo o projeto é financiado por um convênio firmado entre o Governo do Estado de São Paulo e o Ministério da Cultura, que tem por objetivo apoiar entidades que desenvolvem relevante papel na comunidade nas áreas de fomento, difusão, produção e formação cultural. O GRUPO E-JOVEM foi selecionado por meio de concurso público e foi a única entidade LGBT contemplada em SP.

As matrículas e inscrições para bolsas de estudo já estão abertas e as aulas devem começar em março de 2010. Os interessados devem escrever para escola@e-jovem.com ou ligar para os telefones (19) 3307-3764 / 9341-3764.

INFORMAÇÕES PARA A IMPRENSA:
Deco Ribeiro, Diretor – (19) 9136-1950
Flávia Faiola, Secretaria de Cultura de SP – (11) 2627-8166

5 comentários:

  1. Incrível...

    No meu tempo, não precisava escola para aprender a ser viado.

    Como as coisas mudam...

    Resposta do Fabrício Viana: Arthur, pelo que entendi, a escola não é para aprender a ser viado... acho que muitos lá já sabem... a escola é de convivência... dá uma lida na matéria e procura se informar melhor...

    ResponderExcluir
  2. Meuuuu Deusssssssss!!!!!
    Que coisa mais linda!
    é minha primeira vez aqui e me apaixonei por tudo.
    Oh, desculpe me. Deixe-me me apresentar:
    Meu nome é Flávio, 19. Sou professor de língua portuguesa, inglesa, literatura e dança. Também gay! E achei essa iniciativa lindissima. Seria meu sonho trabalhar em um lugar assim, onde poderia lidar com esses adolescentes magnificos, que por sinal são muito inteligentes, abeis e artisticos.
    Realmente, devo admitir que hoje me orgulhei do Brasil.
    PARABÉNS....

    ResponderExcluir
  3. Que bacana!
    Espero que isso chegue um dia até Porto Alegre.
    Acho que não é preciso nem uma escola, mas projetos e mini-cursos sobre a cultura gay serão muito bacanas realmente. é preciso falar sobre o assunto, pras pessoas verem que isso é normal. a maior parte do preconceito é o medo do desconhecido.

    ResponderExcluir
  4. Muito Bacana

    Investir na conscientização na formação de idéia e de objetivo para o futuro é muito importante. O jovem que assume sua homossexualidade passa por uma incrível transformação, fica aberto a diversas propostas como SEXO experiências diferentes esta exposto a uma sociedade onde ha pessoas boas e ruins onde ha um índice alto de Pedofilia uma relação homossexual não pode se resumir ao SEXO, tem que ser uma relação bacana um completa o outro.
    Esta proposta de trabalhar com este jovem homossexual é essencial pois muitos tem receito de freqüentar um teatro uma oficina de arte dentre outras atividades que completam uma juventude rica.
    Tem muito o que se trabalhar o que se falar fica para comentários próximos adoraria manter um contato com esta equipe que confia defende e trabalha junto na formação cultural e profissional destes jovens

    Um abraço a todos e gostaria que o que se tiver algo de útil neste comentário que fosse passado aos jovens da escola

    uma abraço para todos de um amigo de Minas Gerais
    que adora teatro, musica, cultura e valoriza muito a pessoa que é capaz de se assumir sua homossexualidade e não perde sua vontade de se realizar pessoalmente.

    ResponderExcluir
  5. Uma ação, em essência, totalmente contraditória.
    Há quem busque pela igualdade e pelo respeito entre as pessoas, os sexos, as sociedades...
    Há quem prefira reproduzir a guetização das minorias e, pra isso, cria uma escola para jovens gays (!).

    Não, os gays não precisam de um lugar considerado gay (apesar de o lugar em questão "aceitar" outras sexualidades). Os gays precisam de respeito em QUALQUER escola, em qualquer lugar, rua, bairro, cidade, estado, país...

    Em vez de incluir, essa ação apenas exclui, apenas reproduz e reafirma o preconceito.

    Comentário do Fabrício: Agradeço sua visita e seu comentário, mas, quem critica, geralmente faz melhor (ou deveria prover projetos melhores). Se puder relacionar quais seus projetos para que tenhamos idéia do que você faz para ajudar a comunidade homossexual (sem necessariamente colocar interesses próprios - como por exemplo a parte "os gays não precisam de um lugar considerado gay" - afinal, alguns PRECISAM e MUITO!!!) agradeceria. Se não, vai ser uma "critica" gratuita, comum e que não leva a absolutamente nada (ao contrário deste projeto). ;-)

    ResponderExcluir