terça-feira, 23 de março de 2010

Como lidar com meu filho homossexual? Meu filho gay? Minha filha lésbica?

meufilhoegay_eagora_oquefazer_fabricioviana

Com certa frequencia sou procurado por mães e pais que acabam de descobrir que seu filho é homossexual. Muitos me escrevem de forma tranquila, querendo saber mais informações a respeito da homossexualidade e acabam comprando meu livro para ajudar nesta compreensão. Outros, mais desesperados (e não são poucos), contam histórias de causar arrepios. E, na maioria delas, o problema é mesmo a falta de informações sérias a respeito da homossexualidade.

Hoje resolvi compartilhar com vocês a carta de um pai desesperado que recebi nesta semana. Nome será mantido no anonimato. Vou colocar tanto o conteúdo do email dele quanto a minha resposta.

============================
E-mail do pai procurando ajuda.
============================

Enviada em: sexta-feira, 19 de março de 2010 23:10
Assunto: ajuda!


Fabrício, após inúmeras pesquisas na internet sobre a homossexualidade, encontrei sua obra: "O Armário".

Recentemente ( há apenas 6 dias ), nosso filho nos contou sobre sua opção sexual, afirmando ser gay. Foi um golpe muito grande para nós. Estamos sofrendo muito. Desde então, minha vida tem se resumido em pesquisas sobre o tema. Não consigo aceitar essa situação e penso sempre, todos os dias, que tudo isso vai passar e ele vai dizer que estava enganado sobre isso.

Eu disse a ele que o amo e que meu amor por ele é verdadeiro e que nunca acabará. Tentei buscar forças. Mas estou sofrendo muito. Perdi a vontade e o prazer da vida. Meus projetos, meu trabalho, tudo para mim perdeu importância. É um momento de transtorno, de dúvidas, de desespero.

Precisamos de ajuda. Peço sua ajuda, por favor. Não consigo conter as lágrimas... minha mente vaga e dá lugar a pensamentos cruéis, como, por exemplo, renunciar à vida. Desde o dia que soube, me entreguei ao álcool. Somos uma família com um casal de filhos e essa notícia, por enquanto, está somente no seio familiar (eu, minha esposa e filhos).

Li sobre seu livro "O Armário" do Fabrício Viana, preenchi os dados para compra. Só falta efetuar a transferência.

Ficarei eternamente grato pela ajuda.

Um abraço.

*******

============================
Minha resposta
============================

*******,

Que bom que chegou até aqui. Fico triste quando “a busca” de informações sobre a homossexualidade acaba caindo em sites de pessoas e profissionais que promovem, erroneamente, a “cura da homossexualidade”. É um atentado contra a vida humana tentar curar algo que não tem cura. É a mesma coisa do que tentar ou fazer de tudo para que você ******, deixe a heterossexualidade e passe a ser um homossexual. Se você pode ser convertido, imagine que seu filho também possa. Se você não pode ser convertido, seu filho também não. Porque a “mudança” vem de dentro e não tem nada que eu ou você possa fazer para que ele “seja outra coisa”.

Isso é um ponto. Sobre o golpe da notícia e perder a vontade de viver. Se entregar ao alcool, etc. Entendo perfeitamente. Os pais nunca educam seus filhos pensando na possibilidade dos mesmos terem outro tipo de orientação sexual. E quando isso acontece a maioria das vezes não sabem como lidar. Mais ainda por vocêr ser pai, homem, e ter – consciente ou inconscientemente – o machismo ditando regras em suas condutas e no seu estilo de viver. Aquela velha idéia de que “homem não chora”, “homem tem que ser macho e casar com uma mulher” e ai por diante. Você escutou isso durante toda a sua vida e agora vê que seu filho foge de todas estas “regras”. É realmente uma situação dificil.

Porém, dentro de sua história, vejo uma coisa muito bacana. A abertura que seu filho teve para ir até você e dizer abertamente que é gay/homossexual. Acredite, para fazer o que ele fez (independente da circunstância), ele teve que buscar forças enormes e o maior medo dele neste momento é sofrer a rejeição de vocês. O que ele busca é compreensão e apoio. Nada de castigos, nada de cortar vínculo, fugir do assunto, etc. O jeito é sentar e conversar. Se a situação é dificil para vocês, imagine que para ele é mais ainda. Porque quem vive este drama é ele. E talvez o maior problema nisso nem seja ele ser homossexual, para ele isso pode até ser tranquilo, o maior problema mesmo é a relação dele com vocês. Mais uma vez o medo de ser rejeitado e de ser deixado de lado. O qu ele precisa, lembre-se disso, é de apoio incondicional. E nada de “negar” a homossexualidade dele. Se ele tem certeza disso ou dúvidas, quem irá sanar tudo isso é ele mesmo, com base nos instintos e desejos dele. O que resta de você, de sua esposa e de sua outra filha é mesmo “tentar entender”, “respeitar a orientação sexual dele” e “não abandonar”. O resto, acredite, você aprenderá com o tempo e com o novo estilo de vida dele que, se for analisar, não será diferente de um estilo de vida heterossexual. Apenas os parceiros dele serão diferentes. Ela irá namorar como todos, ou será “galinha” como todos, enfim, ai é outra etapa. Frise na educação sexual sempre. O uso de preservativos. Enfim, ai é educação sexual mesmo. A mesma educação que daria a um filho heterossexual. Alias, como o passar dos anos, escreva isso, você verá que não tem tanta diferença assim (ele irá amar e sofrer como todo ser humano). Mas é claro que existe. Tem preconceito (nosso e social) e uma série de fatores que precisarão ser superados.

Mas o que precisa ser resolvido mesmo, esta ai, dentro da sua cabeça. A leitura do meu livro poderá ajudar muito (se não fez o pagamento pelo site, corra, pois devo ter somente mais 8 exemplares no estoque – semana que vem a página de vendas deve sair do ar). Na primeira parte dele tem uma autobiografia minha e logo em seguida vem a história da homossexualidade, a história da condenação religiosa e científica, relações familiares e principalmente uma introdução ao machismo. Esta ultima com certeza lhe será de muita utilidade caso consiga compreender plenamente o que diz lá. Vai ser tão importante sacar o funcionamento do “machismo” não só para entender seu filho homossexual mas também para entender um pouco de si mesmo.

Espero que meu breve e-mail (minha vida é uma correria) possa lhe ajudar. Dificilmente consigo responder e-mails mas o seu, como muitos outros de pais e mães aflitos, sempre me chamam a atenção. O mais interessante é que muda o cenário e os personagens, mas o drama é sempre o mesmo. E, já que é o mesmo, espero que vocês todos possam passar por ele da melhor forma possível. Não é fácil. Mas, novamente, o jeito é aceitar, compreender e “reformular” todo o conceito negativo que temos com relação a homossexualidade. Lembre-se que as dificuldades da vida são as mesmas, apenas o caminho a percorrer será diferente. E ele poderá ser tão grandioso como o que já estava planejado. Vai depender de todos vocês.

Abraços e boa sorte por ai!

Fabrício

Fabrício Viana
http://fabricioviana.com
http://twitter.com/fabricioviana

15 comentários:

  1. Olá Fabrício, te admiro muito, acompanho teus blogs, achei O Armário maravilhoso (já comentei sobre ele). A minha opinião sobre a carta do pai que descobriu que o filho é homossexual, é que está na hora de chamar a atenção das pessoas para não usarem mais a palavra "opção", pois sabemos que ningém opta para ser homo ou hetero, concordas? Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  2. A questão do machismo, tão arraigada em nossa cultura, parece promover um verdadeiro sequestro da razoabilidade humana. O foco está quase sempre centrado na orientação sexual, impedindo que se detecte os valores que, de fato, fazem a diferença, como a hombridade e o bom-caratismo.
    Tomando por base a carta publicada acima, torço pra que o pai reveja a situação de outros ângulos, buscando interpretá-la sob a luz da sensibilidade! E que o amor paternal estabeleça como alvo a coragem e dignidade do filho em se abrir para a família. Quer prova mais louvável de altizez???

    ResponderExcluir
  3. Fabrício

    Não tenho seu livro ainda, mas andei lendo o seu website, e vi que você é um cara que está disposto a esclarecer os entrepostos da homossexualidade, destacando temas interessantes e complicados de se discutir com a família principalmente. Estou admirando seu trabalho e espero que comtinue assim. Devemos, com todos os artifícios, mostrar aos familiares e sociedade, que somos pessoas normais, de caráter e também amamos, choramos, e outras coisas que os héteros fazem. Estou feliz que a consciência de algumas pessoas tenha mudado em relação a isso. Mas mesmo assim, não deixaremos de lutar contra o preconceito. Parabéns.

    Fabio Reis

    ResponderExcluir
  4. Olha.... alem do livro do Fabricio...... recomendadissimo tmbem o Filme PRAYERS FOR BOBBY..... ajudaria muito a familia a compreender e entender o que é amor.... e nao deixar de lado... pois poderia ser tarde demais.
    Um Abraços.... e que ele compreenda o quanto o filho dele u os ama, a ponto de se abrir perante a familia, temendo muitas coisas como a maior de todas........ a REJEIÇAO

    ResponderExcluir
  5. Olá Fabricio, li seus comentários e estou como o pai da carta acima tanto fiz para meu filho se tornar um homem de bem e gostar das mesmas coisas que eu e ter as mesmas opçôes sexuais que eu ( mulher ) , esta semana porém ainda estou sem dormir pois sem quere abri sua página d do msn e li as conversas dele com seu namorado , fiquei boquiaberto pois não esperava isso dele apesar de eu sempre desconfiar e cobrar a defesa escessiva da mãe, e reclamar dos momentos trancados no quarto ,dentre tantas outras reclamações agora estou sem saber o q fazer a um detalhe nós discutimos e o clima está pesado em casa eu queria é sumir e tentar esquecer tudo isso, se puder diga-me algo como tiro isso da cabeça sou de uma familia de puritãnos e não convivem bem com esse tema , estou vendo uma separação iminente.

    ResponderExcluir
  6. Me encontro nesta situação, não como pai, e sim como o filho que precisa de apoio e o pai não aceita. Ontem chegou a me revelar que não teria mais forças pra contnuar com o trabalho, nem com a vida se minha homossexualidade continuasse... Desde então vem me implorando pra eu reverter minha vida! Já não sei o que falar. Até concordei pra não ter que ouvir aquilo novamente, de tanto que me pediu. Buscarei seu livro, talvez eu dê este livro ao meu pai. Que precisa de mais forças que eu. Otimo texto!

    ResponderExcluir
  7. Olá fabricio , tenho 16 anos .
    minha mãe não aceita minha opção sexual , sempre discutimos em casa sobre isso .
    ela não aceita de jeito nenhum , não aguento mais .estou sofrento muito . ela sempre ficafalando que mulher tem que ficar com homem , que não existe mulher com mulher e blaá . ela sabe que namoro com a menina agora ela quer ir na casa da menina pra fala com a mãe dela , e eu não quero isso . cada dia que passa mais tenho ódio da minha mãe . ontem terminei com minha namorada estou sofrendo muitoooooo. ME AJUDA NÃO SEI OQUE FAZER .

    ResponderExcluir
  8. vossa excelencia :
    achei seu livro muito legal e as dicas que vc atribui aos pais tambem realmnte vc entende as pessoas.
    fabricio viana pra falar a verdade pro meu pai nao foi facil aceitar minha condiçao de ser homossexual sabe eles disse coisas horiveis tais como :
    -que ele nao irria me reconhecer como filho dele
    nao irria me ajudar em nada
    disse tambem:
    -que preferia ver eu morto , do que ver eu sendo um homossexual
    essas palavras pesaram muito sobre mim mais eu tive força para aguentar graças ao apoio dos meus amigos e parentes ,a minha mae logo aceitou minha condiçao
    mas depois de uma conversa que meu pai teve com a minha ,ele resolveu aceitar a minha condiçao de ser homossexual
    e hoje nos temos uma boa convivencia graças a deus e a minha tia que sempre me apoiou em minhas decisoes.
    mas eu sou aquele homossesual que todos tem orgulho e me respeita pois eu sou independente tenho um emprego, ganho meu proprio salario.
    e assim eu sou feliz .
    e gostaria que vc me add no msn se vc quiser e claro !
    meu msn é:ro_@edmarhotmail.com
    e muito obrigado pela atençao de
    vossa excelencia.

    ResponderExcluir
  9. coisas que acho muito errado quero dizer muita gente acha errado
    ser homossexual nao quer dizer que voce tem de ser efeminado ,querer sentir se como mulher,posso ser macho jeito e voz tambem outra coisa que negocio e esse de ter de asumir ai vem aquele expressao extremamente preconsceituosa sair do armario po o proprio homossexual cria seus preconceitos ter de assumir e dar satisfaçao da vida intima como se fosse um crime e tivesse que assumir esse crime passaeta gay ate concordo desde que nao haja putaria ,pornografia tudo a mostra vai muita criança a esses locais pessoas religiosas ,pessoas serias tentando compreender mas quando veem essa festa putaria so distorce o assunto passeata tem de ser coisa seria sem frescuras se e que querem compreensao -essa palavra -gay -segundo alguns especialista dizem e o proprio preconceito imposto a si -gay-alegre / pareçe tao bobo / vestir se de cor de rosa dizem que hitler definiu a cor de rosa para os gays /que toda vez que eles os gays vestirem rosa estaram fazendo uma digamos omenagem a hitler ,para ter seriedade e respeito o gay precisa pensar em seus erros e nao passar essa imagem negativa de promiscuiadade ,fragil e criar seus proprios preconceitos.

    ResponderExcluir
  10. alinealves82@gmail.com2 de junho de 2011 14:54

    preciso de ajuda fabricio espero que responda .

    ResponderExcluir
  11. Eu também sou mãe de um homossexual,para mim ele e meu filho amado como nunca.Descobri atraves da professora dele quando ele estava na 2ª serie ela me alertou na hora achei horrivel ela me falar mas fui observando e com o tempo tudo foi se confirmando falei com o pai dele e quando ele fez 16anos nos fomos te ele e falamos com ele que no principio negou mas depois não teve como esconder mais.Chegamos a leva-lo a uma psicologa para ajuda-lo a se aceitar porque ele e muito fechado com ele mesmo e vimos que tudo isso estava dificil para ele,hoje ele tem aparecido com uns namoros mas que não vão muito longe ele e super reservado.Porem para mim ainda e dificil ve-lo com outra pessoa do mesmo sexo eu faço uma força sobre humana para aceitar essa situação porque meu coração de mãe sofre ao ver que ele e infeliz que sofre com o preconceito pois e dificil aceitar que o meu lindo garoto não e bem visto pelas pessoas hipocritas mas eu o amo e quero proteger ele mais do que o normal,e com isso acabo atrapalhando a vida dele com seus relacionamentos por ter medo que façam algo que o prejudique por que bem sabemos que essas coisa acontecem a toda hora as agressões para com os homossexuais.sou uma mãe que so quer ver seu filho feliz que ele seje digno de ser um ser humano e não um macho pegador.obrigado por ouvir as minhas palavras que ficam sufocadas em meu coração um abç
    tania

    ResponderExcluir
  12. oi, eu também sou marinheira de primeira viagem,meu filho declarou que estava saindo com alguém,essa foi a maneira dele me dizer que era homossexual. na verdade ele presentia que eu já tinha conhecimento do fato, ele deixava muitas dicas,e eu fui apenas juntando as peças,mais sabe,quando vc ainda insiste em não aceitar, e achar que possa ter alguma mudança. eu fiquei na minha e fiquei esperando ele me dizer diretamente.... não fiquei chocada mais confesso que não queria ter tido a certeza.ele é meu único filho,pensei minha familia acabou. ele não vai ter filhos,não terei netos.fora os perigos ,que lhe são atribuídos pelos preconceitos da sociedade. minha amigas perguntam seu filho já tem namorada.. a vontade é de responder tem sim, um namorado,francamente eu não teria problema nenhum em dizer, o problema maior é meu marido ,ele nada viu , nada percebeu ,colocou uma venda nos olhos e seguiu em frente,pra ele foi um choque total.ele não aceita,ele acredita na possibilidade do filho ser homem.vamos ver no que vai dá, ainda é muito recente.....só sei que desde que resolvir te-lo sempre foi o meu tudo,e continuará sendo. ficarei do seu lado a todo momento.orientando-o para que possa ter uma vida digna, normal e feliz.....

    ResponderExcluir
  13. Ola tudo bem com vc tava lendo essas palavras nese site tudo a ver com o que estou passando,me chamo kleber moro em guarapuava aqui no parana,estou sofrendo muito como nunca sofri na vida to a ponto de fazer uma loucura comigo mesmo,
    entao a 3 meses atras conheci uma carinha aqui na minha cyt que se chama hyago, conheci ele quando eu entrava em uma relaçao seria com outra pessoa conheci ele abandonei tdo pra ficar com ele..começamos a namorar e logo fomos morar junto era muito amor de mais d anbas as partes eu me assumi pra minha familia e ele pra dele, fomos morar juntos e a familia dele nunca aceitou nossa relaçao e tentaran até q um certo dia ele foi lah na mae dele passear e ela fez uma lavagen na cabeça dele ela é evangelica levo ele na igreja o pastor falo um monte pra ele e ela foi na minha casa pegou tdo q era dele e ele me deixou pra sempre,meu deus o mundo caiu na minha cabeça eu e ele estamos sofrendo muito e agora ela poz na cabeça dele que ele é hetero, estudamos juntos eu o vejo e nao posso fazer nada mais a 3 meses q choro dia e noite com isso nao sei mais o que fazer..
    ela nao deixa a gente se falar d tipo nenhun ele ta tentando mudar mais sei q ele me ama muito tnho gravaçoes em meu celular dpois q a gente se separo ele disendo q tava com vontade de se matar q nao tava guenatndo a pressao da mae dele..nao sei o que fazer
    minha vida ta acabada totalmente ja fiz d tudo pra voltar com ele mais nao consigo
    a mae dele mando até outras pessoa me bateren pra mim sair de perto dele
    mais nosso amor é grande mais tnho medo do que possa acontecer mais tarde tanto comigo tanto com ele...
    abraçao fica com deus

    ResponderExcluir
  14. cara peloamor de deuz eu sou e filho me de uma luz ..... c puder me ligue , entre eim contacto comigo
    não e faciu e ele não me aceita " meu pai " ta tirando meu prazer de viver .
    socorro de verdade ....

    ResponderExcluir
  15. Olá, me chamo Roberta e tenho um filho de 14 anos, ontem em uma conversa referente a uma brincadeira entre a familia e eu ao chegar em cas fui contar para meu filho, ele me confessou que era gay, o sangue me fugio a face, tive uma conversa com ele e também tive a reação do relato do pai acima, disse que ele não deixaria de ser meu filho e nem de ama-lo, mas tem sido dificil para mimn que rio ele sozinho pois o pai não tem participação então busco orientação pq meu maior medo não é a sexualidade dele, pois ele é um filho maravilhoso, estudioso, inteligente, prestativo, mas tenho pavor da sociedade que é cruel homofobica , com isso resolvir pedir ajuda, como lidar com essa situação já que crio ele sozinha?


    Att,
    Roberta

    ResponderExcluir