segunda-feira, 26 de abril de 2010

Quem é o zé-ruela da USP?

Joaozinho-Ze-Ruela-USP-Farmacia O Brasil ficou perplexo neste final de semana pela notícia do jornal O Parasita, assinado por alunos da faculdade de Farmácia da USP, ao incitar o ódio e a violência contra os homossexuais em uma de suas páginas.

Escrito por “Joãozinho Zé-Ruela“, o texto pedia para que os alunos jogassem fezes em um homossexual em troca de convites para uma festa. E, em outra parte, dizia que era absurdo a presença de homossexuais envergonhando a USP.

Ontem e hoje a imprensa caiu matando em cima deste ato preconceituoso junto com a Defensoria Pública, a Polícia Civil e vários militantes homossexuais. Todos querem “acusar alguém”. Achar um responsável. Mas neste sábado, acompanhando as matérias na TV e na Internet uma coisa ficou clara: O jornal não tem ligação com o curso, ninguém se resposabiliza por ele e pior, ninguém sabe (ou informa) quem são seus autores. Quem é o tal “Joãozinho Zé-Ruela” que incita a violência.

MAS QUEM É O JOÃOZINHO ZÉ-RUELA??

Esse é o ponto chave. Ninguém fala ou comenta. Mas é claro que os alunos da faculdade de Farmácia sabem sim quem são seus autores. Vão na TV e Internet apenas para dizer que são contra o preconceito e discriminação. Que tudo é – ou deveria ser – uma grande brincadeira. O problema é que, não dizendo quem são os autores – graças a amizade e companheirisimo, eles acabam consentindo com o preconceito velado. Imagina-se que foi uma brincadeira de mal gosto e que “seu coleguinha” aprendeu a lição e deve ser perdoado. Mas não. Tudo na vida tem sua responsabilidade e fazer uma besteira destas, também! Entregá-lo é um favor que fazem ao crescimento intelectual deste “infeliz”. Afinal, graças a mentalidade de vários “zé-ruelas” que temos por ai é que o preconceito e a discriminação contra homossexuais existe. E, a parte boa é que, mesmo que não falem, se o jornal foi distribuido pela Internet ele teve uma origem. E na Internet, por mais que você crie e-mails falsos ou faça uso de aplicativos para esconder esta origem, existem meios para que tudo seja rastreado e o acusado responsabilizado por seus atos.

Agora, o que mais me perturba nisso tudo é a “coragem” deste cara usar um nome fantasia “Joãozinho Zé-Ruela” para atacar o outro. Ele deve se sentir tão macho, tão homem, tao viril que precisa de um nickname para se esconder. Covardia pura não? Não tem peito suficiente para mostrar a cara e assumir o que fez. “Sou eu e pronto!“. E mais, indo além, ele poderia dizer “Sou eu e pronto! Não gosto de homossexuais porque, no fundo, tenho desejos homosssexuais e não sei lidar com isso. Por isso eu faço como muitos zé-ruelas, ataco no outro aquilo que mais me incomoda“.

Então, meu recado pra esse “Joãozinho Zé-Ruela” do curso de Farmácia da USP é: SE ASSUMA CARA! SAIA DO ARMÁRIO! Diga a todos que você é homem, porém, um grande frustrado por ser um cara enrrustido! Afinal, um cara que é heterossexual convicto não fica atacando homossexuais! Ele não tem tempo pra isso! Sabe porque? Porque ele, neste momento, esta namorando uma garota ou caçando alguma por ai…

Como cito no meu livro, aqueles que mais combatem a homossexualidade no outro, é porque tem os desejos reprimidos dentro de si. Vamos torcer para que este ai se assuma, seja feliz e pare de perseguir os homossexuais e a homossexualidade. E não só ele, mas todos os “zé-ruelas” que existem no mundo, até aqueles que, vez ou outra, entram no meu blog deixando comentários ofensivos achando que eu irei ler ou, até mesmo, aprovar e publicar.

Um comentário:

  1. Muito bom... concordo com tudo. Tmabém fiquei indignado com isso e acho que ele deveria se entregar ou alguem fazer-lhe esse favor. Exceto, com o enrrustido.... já que é enrustido.

    ResponderExcluir