quinta-feira, 27 de agosto de 2015

A Bíblia e a Homossexualidade. Como se defender?

biblia-homossexualidade


Respeito religiões e religiosos, desde que estes não interfiram na vida alheia, impondo seus costumes e crenças de forma errada, com profundo fanatismo e violência contra o próximo.


E isso frequentemente acontece quando o assunto é a "Bíblia e a homossexualidade". Sempre tem alguém que ergue uma Bíblia e cita passagens que condenam o relacionamento entre pessoas do mesmo sexo, como se aquele livro, escrito por homens e modificado por vários povos através dos séculos, fosse o livro mais importante do universo.


Este artigo pretende ensinar as pessoas como se defender das acusações deste "livro sagrado", pois, se tudo na Bíblia é o correto, nós devemos dizer a estes fanáticos que eles devem apedrejar os adúlteros, escravizar suas filhas, defender a escravidão humana, matar todos que trabalham de sábado e ainda expulsar de suas igrejas os deficientes físicos. Sim, tudo isso "está escrito" no livro sagrado.


Uma das passagens mais enfatizadas por eles sobre a homossexualidade está em Levítico 18:22: "Não se deite com um homem, como se fosse mulher. Isso é uma abominação" e em Genêsis 19:1-25, onde se narra a destruição de Sodoma e Gomorra por Deus devido a prática do sexo entre os homens.


Já que estas "Leis de Deus" estão corretas e a homossexualidade é injustamente condenada, devemos então enfatizar também outras leis que existem neste "livro sagrado" e que deveriam vigorar em nosso dia a dia.


Em Êxodo 21,7-8 por exemplo, são dadas orientações sobre a maneira de vender a própria filha como escravo. Em Levítico 25,44, explica-se que os escravos devem ser comprados nas nações vizinhas. No mesmo Levítico 15,19-24, diz-se que a menstruação feminina é uma imundice e tudo o que a mulher tocar neste período fica imundo, inclusive seu marido. No Êxodo 15,2, diz-se que o sábado é para descansar e quem trabalhar neste dia DEVE SER MORTO - imaginem a quantidade de gente, inclusive amigos do dia a dia, que trabalham de sábado e que segundo a bíblia deveriam morrer por isso.


E ainda tem mais. Em Levítico 21,20, ninguém pode se aproximar do altar de Deus se tiver alguma doença ou defeito, se for cego, coxo, corcunda ou anão. A lista de atrocidades e leis ultrapassadas não é pequena. A Bíblia e a Igreja em si, graças a democracia da informação, está perdendo sua força com assuntos ultrapassados como este.


Então, quando alguém impor a Bíblia contra a homossexualidade, enfatize também estas outras leis. Diga que devem matar todos que trabalham de sábado, expulsar da igreja qualquer deficiente físico, ter sua esposa como um lixo no período fértil e também que devem escravizar e vender suas filhas. Nada mais justo. Para aqueles que se acham justos.

Como disse acima, respeito tudo e todos. Cada um pode ter e seguir sua religião - seja qual for - sem problema algum. Desde que respeite o próximo. Ainda mais homossexuais. Só na parada de SP foram mais de 2 milhões na avenida paulista desde 2006. Nós existimos, não somos doentes, nem aberrações e muito menos condenados por Deus. Apenas temos uma orientação sexual diferente dos demais. Nós amamos, criamos família e contribuímos para uma sociedade melhor. Ignorância e hipocrisia religiosa tem limite.


Precisamos pregar o amor. O amor ao próximo, independente de quem ele seja.


Fabrício Viana*


*Fabrício Viana é escritor, bacharel em psicologia e autor de diversos livros com temática LGBT. Participa ativamente do nosso projeto. Entre seus principais livros, destacam-se O Armário (sobre a homossexualidade) e o Theus: do fogo à busca de si mesmo (romance de 196 com temática gay, que aborda a religião e a falsa cura da homossexualidade por religiosos).

Nenhum comentário:

Postar um comentário