sábado, 21 de março de 2009

Prêmio Cidadania em Respeito à Diversidade da APOGLBT chega em sua 9ª Edição

Em sua 9ª edição, o Prêmio Cidadania em Respeito à Diversidade terá a participação do público na indicação dos premiados, sob a nova curadoria de João Silvério Trevisan. A cerimônia – que anualmente homenageia personalidades, entidades, autoridades políticas e ações culturais que valorizam a cidadania e os direitos humanos de LGBT – é promovida pela APOGLBT (Associação da Parada do Orgulho GLBT de São Paulo) e antecederá a 13ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, em junho.

Um prêmio como esse, que contempla as mais diversas áreas de atividades relacionadas à comunidade LGBT, precisa absolutamente da participação dessa mesma comunidade, para alavancar sua importância e lastrear o seu prestígio. Sem isso, cairia no vazio”, afirma Trevisan, que pelo primeiro ano será o curador do prêmio.

Qualquer pessoa, de qualquer lugar do Brasil,  pode fazer quantas indicações quiser enviando um e-mail para premio@paradasp.org.br. No campo Assunto, preencha com “Indicação”, e no corpo do e-mail descreva e justifique o(a) indicado(a), dentre as seguintes categorias: Saúde, Direitos, Ação Política, ONG, Cinema Ficcional, Filme Documentário, Literatura, Artes Cênicas, Internet, Imprensa, Internacional, Memória e Especial. Indicações que não se enquadrarem às categorias preestabelecidas também serão aceitas.

Acerca da nova curadoria, João Silvério Trevisan é dono de um currículo extenso: escritor, dramaturgo, roteirista, diretor de cinema, jornalista e tradutor, possui uma vasta obra publicada e premiada (incluído três prêmios Jabuti – por O Livro do Avesso (1992), Ana em Veneza (1994) e Troços e Destroços (1998) – e dois A.P.C.A. – por Ana em Veneza e pela tradução de Havana para um Infante Defunto, de Guillermo Cabrera Infante). É também um pioneiro na militância LGBT brasileira, fundando o Grupo SOMOS, no final da década de 70, e editando o jornal O Lampião da Esquina, primeira publicação gay no país, de 1978 a 1981. Em 2006, recebeu o título de Cidadão Paulistano, numa homenagem da Câmara Municipal. Sobre sua nova missão: “É uma difícil tarefa ser curador do Prêmio Cidadania em Respeito à Diversidade, pois exige atenção constante para acompanhar a produção e as atividades relacionadas aos direitos homossexuais no Brasil”, acrescenta.

A cerimônia de premiação, ainda com data e local a serem definidos, faz parte do calendário de atividades do 13º Mês do Orgulho LGBT de São Paulo. O conjunto de manifestações e eventos, cujo tema deste ano será “Sem Homofobia, Mais Cidadania – Pela Isonomia dos Direitos!”, acontecerá em junho, na capital paulista, e inclui a Parada do Orgulho LGBT, o Gay Day, a Feira Cultural LGBT e o Ciclo de Debates (confira datas e locais já confirmados em www.paradasp.org.br).

Ontem e hoje

O Prêmio Cidadania em Respeito à Diversidade surgiu em 2001, com o objetivo de lembrar e divulgar pessoas, instituições e os fatos mais significativos no cenário político, social e cultural para a comunidade LGBT, contribuindo na promoção dos direitos humanos. Promovido pela APOGLBT, seu surgimento é concomitante com o de outros dois eventos relacionados à Parada do Orgulho, o Gay Day e a Feira Cultural LGBT, o que culminou na oficialização do calendário do Mês do Orgulho LGBT de São Paulo.

Este prêmio significa, antes de tudo, o reconhecimento da atuação dos premiados como sendo de alta representatividade na vida de gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais. É também um importante momento de divulgação e valorização das atividades que contribuíram com o movimento na consolidação do respeito à diversidade, bem como um estímulo às práticas socialmente responsáveis.

Os troféus (no formato de uma mão fazendo o símbolo de positivo, em referência ao logotipo da APOGLBT), desde a primeira versão, foram criados e doados para Associação pelo designer Duílio Ferronato, sendo confeccionados em alumínio fundido nas primeiras versões e em resina colorida nos últimos seis anos.

Até 2008, a cerimônia de entrega dos troféus aos homenageados ocorreu durante a Feira Cultural LGBT, fazendo parte de sua grade de programação. Devido ao reconhecimento do prêmio, para 2009 estuda-se a possibilidade de realizá-lo em data e local diferentes, dando-lhe maior visibilidade dentro do Mês do Orgulho.

Entre os destaques de sua última edição, estão as Paradas de Moscou (Rússia) e Jerusalém (Israel), cujos representantes vieram pessoalmente à cerimônia para serem homenageados na categoria Internacional (confira os homenageados em todas as categorias das últimas quatro edições em nossa sessão de downloads).

Um comentário:

  1. eu amo ser gay, nunca tinha visto o que era realmente a homofobia detro da igreja pentecostal , outras que figem não discriminar os gay. fui , tentei suicidio, nunca tinha pensado em tira minha própria vida eu comecei a me imaginar não mais existido no muido poi s me deram livros que falam mal dos gay em geral como os quasadores da destruição de sodomia e gomora. minha mãe não endende , critica mas não estou mais morando com ela , tenho um outro irmão gay que mora com um amigo gay no ********. meu telefone é ******** Rsemiry ou Rogeria *********.

    ResponderExcluir