sábado, 31 de janeiro de 2009

Relacionamento entre Ian Thorpe e Daniel Mendes ainda gera polêmica.

Ian Thorpe, campeão de natação, estaria namorando o nadador brasileiro Daniel Mendes? É o que sugere uma matéria do jornal australiano The Daily Telegraph. O jornal afirma que os dois dividem um apartamento, viajaram juntos ao Brasil, passaram o Natal e o Réveillon com a família de Mendes, além de terem ido para Fernando de Noronha.

nadadorSegundo David Flaskas, empresário de Ian Thorpe, não existe um relacionamento homossexual entre os dois, enfatizando que eles são apenas amigos.

Por outro lado, recentemente, corre na mídia que Ian Thorpe disse, como prova de sua heterossexualidade, que tinha um relacionamento "duradouro" com a também nadadora Amanda Beard. Mas não é o que fala a nadadora: "Tire a palavra relacionamento e coloque no lugar a expressão amizade. Era exatamente isso"

Mas, se foi dito que os dois não são gays, quem somos nós para duvidar? Mesmo porque a homossexualidade ainda carrega um peso negativo terrível na cabeça de muitas pessoas, fazendo com que muitos não se aceitem ou, mesmo que se aceitem, não concordem que seus relacionamentos homossexuais sejam divulgados. Não digo com os dois, eles já disseram a todos que não são gays, mas isso realmente acontece com muita gente que vive junto, escondida e dentro do armário.

A pergunta que sempre faço é, até quando a homossexualidade será vista como algo ruim, negativo e polêmico? E não apenas como uma simples expressão natural da sexualidade humana?

Um comentário:

  1. Acho que a homossexualidade passará a ser vista como "uma simples expressão natural da sexualidade humana" quando as pessoas pararem de se importar se fulano é homossexual, heterossexual, bissexual, assexual e se importarem se o indivíduo tem caráter, tem talento, se é uma pessoa boa. Focam tanto na sexualidade de um indivíduo que esse tipo de coisa assume uma proporção maior do que realmente é e esquecem de outros aspectos relevantes na conduta do indivíduo, rotulando uma pessoa simplesmente por sua escolha sexual. Quando os próprios homossexuais pararem de ficar gritando "orgulho gay" e mostrarem que são mais do que objetos sexuais, e sim indivíduos com qualidades, defeitos, capacidades, talentos e sentimentos haverá uma maior aceitação por parte da sociedade e uma afirmação do que se é em uma idade mais jovem, pois hoje se percebe que a esmagadora maioria de pessoas expostas na mídia que assumem a homossexualidade o fazem em uma fase da vida em que estão mais maduras e não estão tanto em evidência como na juventude, o que não quer dizer que estejam apagadas. Quando a sexualidade não for um fator de peso na vida publica de uma pessoa, talvez seja mais fácil encarar isso pra quem é homossexual.

    ResponderExcluir